Torna leve a tua vida

"When simple is more than enough, you will feel happy more than enough."

Mehmet Murat Ildan


Muitas vezes na vida tudo nos pesa, tudo parece árduo ou complicado...sentes que estás a remar contra a maré, contra uma forte corrente que te puxa constantemente para trás.


Mas depois paras, silencias todas as abstrações que estão à tua volta e percebes que esse peso está a ser criado na tua mente. Seja porque o processo não corre de acordo com as tuas expectativas (porque estás a viver sempre nelas), seja porque desejas resultados rápidos, sejas porque anseias controlar sempre tudo.


Porém perdes o controlo de todas as tuas emoções, ultrapassas todos os teus limites e tornas-te uma pessoa que não queres ser, afetando-te a ti e todos à tua volta.


Por isso olha para o teu processo e reflete. Será que essa forte corrente que te puxa para trás não está a ser criada essencialmente por ti? Será que se olhares para o processo de uma perspetiva diferente podes tu tornar essa corrente mais calma?


A resposta é: Sim, podes. Mas como?


1. Deixa de viver na expectativa do resultado final do processo, tal e qual como o idealizas...ou melhor, deixa de criar ideais. Ao viver na expectativa não vives o presente, o teu foco está sempre lá à frente, e a maioria da vezes sofres por coisas que nunca irão acontecer. Estás a desperdiçar a tua energia com algo que não existe. Porque a única coisa que existe é o momento presente.


2. Celebra cada pequena conquista do teu dia, reflete ao fim do dia sobre os passos que deste e não percas tempo unicamente a pensar no que correu menos bem. Pequeno exemplo: se marcaste algo com alguém e essa pessoa não apareceu, não desperdices o tua energia a julgar ou lamentar a sua ausência, pensa que a sua falta te permitiu, se calhar, fazer alguma coisa que já estavas para fazer à tanto tempo. Essa será a conquista do teu dia.


3. Pensa em alternativas para obter ou alcançar o que queres. Se não o consegues de uma forma, pensa numa noutra. E se mesmo assim não conseguires, aceita que não era para ti ou não era o momento certo.


4. Não culpes os outros pelo que te acontece, principalmente aqueles que te são mais queridos. Não te tornes numa vítima, assume a responsabilidade por tudo o que te acontece. Até porque eles também podem estar a sofrer com o mesmo processo, ou a tentar curar as suas próprias feridas. Fala abertamente com as pessoas, que para ti fazem sentido e que te elevam, sobre os teus receios e frustrações. Permite-te ser vulnerável com elas e nessa partilha fortalecerás qualquer relação.


5. Nunca te esqueças de cuidar de ti, de te priorizar, de te nutrir, de fazer aquilo que realmente gostas. Se não o fizeres vais-te afastar de quem és, vais te afastar da tua essência. E nunca te culpes por te colocares em primeiro lugar, tu és a tua prioridade. É esta nutrição que te dará força para tudo o resto.


6. Não deixes que as vozes externas travem os teus passos ou te façam duvidar das tuas capacidades. A maior parte das vezes elas projetam em ti o seus próprios problemas, receios, medos ou a sua falta de coragem por não darem passos que elas próprias gostavam de dar. Ouve a tua voz, o teu coração...ele manifesta-se sempre.


7. Sobretudo usufrui do processo, deixa fluir e abraça os planos que a vida tem para ti. Não forces, não apresses o que é para ti será, no momento certo, no tempo que a vida tem reservado para ti.


Todos temos direito a passar por esta luta contra nós mesmos, mas é uma escolha permanecer nela e tornarmo-nos em alguém que não conhecemos nem queremos ser, ou abraçarmos a nossa verdade, reavivarmos a nossa essência e perceber que todas as pedras que se cruzam no nosso caminho, são oportunidades de crescimento e oportunidades de nos tornarmos melhores seres humano.





58 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo